Carta Capital

Clique para compartilhar o link do texto original

‘O que o policial quer é cumprir a lei e não violar a lei, mas, de fato, essa paralisação é ilegal. É proibida pela Constituição’, diz Moro

[...]

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, se pronunciou neste sábado 29 a respeito da greve de policiais militares no Ceará. Para ele, o motim é ilegal, mas os PMs não podem ser tratados como criminosos. Há mais de 10 dias, parte dos policiais cearenses estão parados, o que levou ao aumento da criminalidade no estado.

“O governo federal vê com preocupação a paralisação, que é ilegal, da Polícia Militar do estado. Claro que o policial tem que ser valorizado, claro que o policial não pode ser tratado de maneira nenhuma como um criminoso”, afirmou Moro durante o 6º encontro do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), em Foz do Iguaçu-PR.

“O que ele [policial] quer é cumprir a lei e não violar a lei, mas, de fato, essa paralisação é ilegal. É proibida pela Constituição”, completou o ex-juiz. Além da Constituição, o Superior Tribunal Federal (STF) também já demonstrou este mesmo entendimento em 2017.

 

 

 

Muito obrigado por ter chegado até aqui…

… Mas não se vá ainda. Ajude-nos a manter de pé o trabalho de CartaCapital.

O jornalismo vigia a fronteira entre a civilização e a barbárie. Fiscaliza o poder em todas as suas dimensões. Está a serviço da democracia e da diversidade de opinião, contra a escuridão do autoritarismo do pensamento único, da ignorância e da brutalidade. Há 25 anos CartaCapital exercita o espírito crítico, fiel à verdade factual, atenta ao compromisso de fiscalizar o poder onde quer que ele se manifeste.

Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores. Seja Sócio CartaCapital, assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica. A democracia agradece.

Leia o texto completo em Carta Capital